COZINHA DOS PAÍSES DE LINGUA PORTUGUESA

No período colonial, fizeram-se vários ensaios de africanizar a cozinha portuguesa.Em Moçambique, por exemplo, o revitalizar do património culinário contra a adulteração daquela cozinha estranha à cultura e aos moçambicanos, foi timidamente ensaiado nos primeiros anos pós independência.Algumas das receitas divulgadas, então, eram representativas da verdadeira e genuina cozinha moçambicana.A mucapata, o mucuane, a mathapa, o tocossado o frango à zambeziana, o caril de amendoim, são alguns dos pratos a que me refiro e que são subscritos por moçambicanas bem conhecidas na arte de cozinhar.É impossível falar da cozinha moçambicana, omitindo a colonização e a consequente repressão cultural . Disto falaremos, oportunamente.
Entretanto, com a descolonização, todos e cada um dos países pode, também aqui, fazer a sua própria história.
Regressamos ao passado gastronómico, à cozinha tradicional, mergulharemos nas raízes, passaremos pelo presente, questionaremos opções e espreitamos novas influências.
Assim, apostamos na divulgação do que de mais representativo, existe, na cozinha dos países de língua portuguesa.
Gostariamos de contar com a colaboração de todos os que por aqui vão passar.


sábado, 26 de abril de 2008

CARIL DE CARANGUEJO


Ingredientes:
2 kg de caranguejo; molho de caril; especiarias cajun: 1 colher de sopa de alho em pó, 1 colher de sopa de cabola em pó,2 colheres de chá de pimenta branca, 2 colheres de sopa de pimenta preta esmagada, 1 1 1 1 ½ colheres de chá de piripiri ( ou pimenta-ciena), 2 colheres de chá de tomilho seco e ½ colher de chá de orégãos secos.
Preparação:
1 – Deita-se água numa panela e juntam-se as especiarias cajum . Deixa-se ferver. Ponha os caranguejos (previamente bem lavados) e tape a panela. Deixe cozinhar até que a casca do caranguejo fique vermelha, cerca de 5 minutos para cada 450g.
2 – Retire o caranguejo da panela com escumadeira. Transfira-o para uma peneira para escorrer. Deixe arrefecer e reserve.
3 – Parta os caranguejos ao meio( depende do tamanho) e ponha-os no molho a ferver apenas no momento em que o caril vai à mesa.
4 - Serve-se com arroz branco, bem solto.
Nota: Na época da manga, pode-se descascar uma manga verde, cortar às lascas e deitar no caril .Se preferir, pode cozer o camarão num caldo aromatizado como aqui

2 comentários:

Santista disse...

Agry,
Não consegui mais resistir e tive que fazer um caril neste final de semana.
Fiquei cheia de desejos depois de tantas receitas deliciosas.
este blog é um pecado...
Abraços

Agry White disse...

Santista,
O caril saiu bom, imagino. Optou pelo de caranguejos?
Não será pecado (ou masoquismo?) privarmo-nos do que gostamos?
Abraços