COZINHA DOS PAÍSES DE LINGUA PORTUGUESA

No período colonial, fizeram-se vários ensaios de africanizar a cozinha portuguesa.Em Moçambique, por exemplo, o revitalizar do património culinário contra a adulteração daquela cozinha estranha à cultura e aos moçambicanos, foi timidamente ensaiado nos primeiros anos pós independência.Algumas das receitas divulgadas, então, eram representativas da verdadeira e genuina cozinha moçambicana.A mucapata, o mucuane, a mathapa, o tocossado o frango à zambeziana, o caril de amendoim, são alguns dos pratos a que me refiro e que são subscritos por moçambicanas bem conhecidas na arte de cozinhar.É impossível falar da cozinha moçambicana, omitindo a colonização e a consequente repressão cultural . Disto falaremos, oportunamente.
Entretanto, com a descolonização, todos e cada um dos países pode, também aqui, fazer a sua própria história.
Regressamos ao passado gastronómico, à cozinha tradicional, mergulharemos nas raízes, passaremos pelo presente, questionaremos opções e espreitamos novas influências.
Assim, apostamos na divulgação do que de mais representativo, existe, na cozinha dos países de língua portuguesa.
Gostariamos de contar com a colaboração de todos os que por aqui vão passar.


segunda-feira, 5 de maio de 2008

ACARAJÉ (1)

Ingredientes:
1/2 kg de feijão frade; sla a gosto; 1 cebola grande, finamente picada.
Para o molho:
200g de camarões secos; 4 malaguetas (piripiri grande) vermelhas; 1 cebola grande; 1 dente de alho; óleo de palma, para fritar
Preparação:
1 - Descasque o feijão, previamente demolhado, retirando o olho preto. Passe-o na picadora. Bata muito bem para que a massa fique leve. Tempere com sal e a cebola ralada.
2 - Leve uma frigideira ao lume com o óleo de palma e frite o acarajé, às colheradas, como se fossem pasteis de bacalhau.
3 - Depois de fritos, reserve-os e prepare o molho: triture os camarões secos, as malaguetas, a cebola e o dente de alho.
Depois de tudo bem moido e triturado, refogue numa xícara de óleo de palma
4 - Sirva o acarajé com o molho - tudo bem quente

2 comentários:

Santista disse...

Agry

Estava esperando o nosso delicioso acarajé... sempre associado ao vatapá e ao caruru.
Impossível falar em cozinha brasileira sem citar este trio.
É marca registrada da culinária baiana.
Abraços

Agry White disse...

A triologia será concretizada em breve, espero.