COZINHA DOS PAÍSES DE LINGUA PORTUGUESA

No período colonial, fizeram-se vários ensaios de africanizar a cozinha portuguesa.Em Moçambique, por exemplo, o revitalizar do património culinário contra a adulteração daquela cozinha estranha à cultura e aos moçambicanos, foi timidamente ensaiado nos primeiros anos pós independência.Algumas das receitas divulgadas, então, eram representativas da verdadeira e genuina cozinha moçambicana.A mucapata, o mucuane, a mathapa, o tocossado o frango à zambeziana, o caril de amendoim, são alguns dos pratos a que me refiro e que são subscritos por moçambicanas bem conhecidas na arte de cozinhar.É impossível falar da cozinha moçambicana, omitindo a colonização e a consequente repressão cultural . Disto falaremos, oportunamente.
Entretanto, com a descolonização, todos e cada um dos países pode, também aqui, fazer a sua própria história.
Regressamos ao passado gastronómico, à cozinha tradicional, mergulharemos nas raízes, passaremos pelo presente, questionaremos opções e espreitamos novas influências.
Assim, apostamos na divulgação do que de mais representativo, existe, na cozinha dos países de língua portuguesa.
Gostariamos de contar com a colaboração de todos os que por aqui vão passar.


domingo, 15 de junho de 2008

MUZONGUÉ

Ingredientes:
farinha de mandioca torrada; um peixe grosso (corvina, por exemplo); um limãouma mandioca; um tomate bem maduro ;duas batatas doces grandes; uma cebolaóleo de palma; sal
Preparação:
1 - Limpe o peixe e tempere com sal e sumo de limão.2 - Leve ao lume uma panela com 1,5 litros de água. Quando estiver a ferver junte a cebola finamente picada, o tomate cortado em pedaços e duas colheres de sopa de óleo de palma. Deixe ferver.
3 - Junte a mandioca e as batatas doces previamente cortadas em quatro pedaços e deixe cozer. A meio da cozedura junte o peixe.
4 - Num prato fundo coloque cerca de três chávenas de chá de farinha de mandioca torrada. Com uma concha, retire o óleo de palma que, durante a cozedura, veio à superfície, e verta por cima da farinha. Esta não deve ficar muito seca nem excessivamente húmida (semelhante a areia molhada) . Mexa bem com um garfo.
5 - Sirva o peixe, a mandioca e a batata doce, regados com o caldo da cozedura, numa travessa e, à parte, a farinha de mandioca.
IMAGEM E TEXTO DAQUI

4 comentários:

Paula Crespo disse...

Caro Agry,
Este blogue é de fazer crescer a água na boca, literalmente falando! Conheço alguns dos pratos aqui referidos - não todos - e gosto muito!
Parabéns e boa degustação ;)

Agry White disse...

Carissima Paula
Foi uma excelente resposta à minha provocação!
Sem pretender ser juiz em causa própria, convenhamos que...
Se pretender um serviço à la carte, para a próxima visita, procure sff, nas etiquetas!
Abraço

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Diva disse...

Mo deus!!! Qtas calorias tem isso???? Aiiii... que se lixe, vou experimentar!
Bjs meus