COZINHA DOS PAÍSES DE LINGUA PORTUGUESA

No período colonial, fizeram-se vários ensaios de africanizar a cozinha portuguesa.Em Moçambique, por exemplo, o revitalizar do património culinário contra a adulteração daquela cozinha estranha à cultura e aos moçambicanos, foi timidamente ensaiado nos primeiros anos pós independência.Algumas das receitas divulgadas, então, eram representativas da verdadeira e genuina cozinha moçambicana.A mucapata, o mucuane, a mathapa, o tocossado o frango à zambeziana, o caril de amendoim, são alguns dos pratos a que me refiro e que são subscritos por moçambicanas bem conhecidas na arte de cozinhar.É impossível falar da cozinha moçambicana, omitindo a colonização e a consequente repressão cultural . Disto falaremos, oportunamente.
Entretanto, com a descolonização, todos e cada um dos países pode, também aqui, fazer a sua própria história.
Regressamos ao passado gastronómico, à cozinha tradicional, mergulharemos nas raízes, passaremos pelo presente, questionaremos opções e espreitamos novas influências.
Assim, apostamos na divulgação do que de mais representativo, existe, na cozinha dos países de língua portuguesa.
Gostariamos de contar com a colaboração de todos os que por aqui vão passar.


segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

MAIOR BOLO-REI DO MUNDO

Matosinhos apresentou, este domingo, o maior bolo-rei do mundo, com 2 500 quilos, para garantir um registo no «Guiness Book of Records».
O bolo foi vendido em fatias, em frente ao edifício-sede da Câmara de Matosinhos, com a receita a reverter a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC).

3 comentários:

Anónimo disse...

Que iniciativa brilhante, apoiar os que sofrem. Adoro Bolo-Rei, fiz um no Natal passado que ficou de 'gritos'. Felicito-o pelo blog e receitas de deixar agua na boca. Gloria de Matos

gil disse...

A PANORTE ESTÁ DE PARABÉNS,ao abraçar uma iniciativa desta envergadura e pela causa nobre que foi fazer reverter a receita da venda deste gigantesco bolo rei, a favor da LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO. É pena que mais empresas não sigam o exemplo

Anónimo disse...

como ex:funcionaria da panorte nao fiquei surpreendida com esta magnifica iniciativa,pois sempre achei uma empresa generosa.felicito que mesmo em tempos dificeis nao esquecem as boas iniciativas...